quarta-feira, 30 de maio de 2012

celebração

Dentro de uma qualquer sequência há um ponto em que a mudança é medida por fases, onde uma coisa se torna noutra. Uma acumulação de sedimentos torna-se uma rocha, o encontro de ribeiros e riachos torna-se um rio, um embrião torna-se um feto e este uma pessoa. Um adolescente com 17 anos e 364 dias torna-se um adulto. São marcos arbitrários, alguns alimentam muito debate, mas têm sempre de ser estabelecidos porque é assim que vivemos.

O meu filho atinge hoje um desses marcos. Com 17 anos, 364 dias e algumas horas é suposto metamorfosear-se num adulto. Julgo que deveria haver uma celebração especial, qualquer coisa que marque a transposição da fronteira, uma espécie de ritual de passagem, mas ele não entende a necessidade do espalhafato que acompanha estes acontecimentos. 

Há muitos fins de tarde em que ele vem pousar a cabeça no meu colo. Enrosca o homem que é nos braços e adormece. Aqui não há marcos nem fronteiras. Dura uma eternidade. Milhões de anos. 


5 comentários:

ann.dorinha disse...

Que bonito..

:)

Helena disse...

Lindo!
Nem dá vontade de dizer "parabéns" nem nada, porque é tão diferente.

maria n. disse...

Obrigada Dorinha e Helena :-)

Helena, pensei fazer uma grande festa, mas ele não quer. Apesar disso nada tem contra os parabéns.
Beijinhos lá para casa!

sem-se-ver disse...

então, muitos parabéns! :)

Anónimo disse...

Este blog tem muito interesse.
Vejam também www.anticolonial21.blogspot.com