sábado, 18 de fevereiro de 2012

função essencial

Não tenho nada contra a ideia de o estado ajudar as famílias para que os pais possam acompanhar mais os filhos, sobretudo agora que o governo parece mais empenhado em reduzir o tempo que passam com eles, mas defender que essa ajuda se destine às mulheres é passar um atestado de incapacidade parental aos homens. Indignam-se, e bem, com as palavras de Manuel Monteiro de Castro que considera que ser educador é uma função essencial da mulher, pelo que deve ficar em casa a educar os filhos e ter tempo para ouvir o marido.

Não é todos os dias que ouvimos um coro de homens protestar contra a ideia de que o lugar da mulher é em casa e, ao mesmo tempo, exigir que lhes seja reconhecido o seu papel de pais e educadores em pé de igualdade com o das mães. Se há alguma coisa nesta história que nos deva honrar é esta atitude e nunca a nomeação de Manuel Monteiro de Castro para uma coisa onde não somos tidos nem achados, diga Paulo Portas o que disser.

5 comentários:

Maria de Jesus Lourinho disse...

Manuel Monteiro de Castro pode dizer as barbaridades que entender porque, por onde vamos, em breve todos ficarão em casa - homens e mulheres.
Valha-o deus

maria n. disse...

O Imprensa Falsa tem uma notícia sobre isso. Para sorrir que também é preciso :-)

http://www.imprensafalsa.com/357210.html

Maria de Jesus Lourinho disse...

E assim se comprova que a mesma verdade dita com humor, dói menos:-)

João José Horta Nobre disse...

O blog está muito giro, parabens :)

maria n. disse...

Obrigada, João.