quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

depois das cassandras, os coveiros

2 comentários:

Miguel Pereira disse...

Qualquer semelhança com a revolução na Pérsia...claro, coincidência!

maria n. disse...

Miguel,
Tal como no Irão, trata-se da exigência de democracia e liberdade, mas não podemos comparar uma situação da qual sabemos o resultado (que nos desiludiu) com outra que apresenta aspectos divergentes da iraniana e se desenrola sobre uma realidade diferente, para daí deduzirmos que a egípcia seguirá os mesmos passos. Não sabemos como irá acabar, mas uma coisa é reconhecer que existem riscos, outra coisa é profetizar a catástrofe para calar a esperança e apelar à resignação.