terça-feira, 18 de janeiro de 2011

matriosca

A Última estava vazia.

A Penúltima sabia que a Última estava vazia e sentia-se alegre porque pensava que era a única que sabia que a Última estava vazia.

A Terceira não sabia bem o que fazia ali mas sabia que a Penúltima, que estava alegre porque pensava que era a única que sabia que a Última estava vazia, tinha um segredo.

A Quarta, como nada tinha para dizer e nada podia resolver, agradecia a todas pelos sacrifícios que suportavam como boas donas de casa que eram, sobretudo a Terceira que não sabia bem o que fazia ali apesar de saber que a Penúltima, que estava alegre porque pensava que era a única que sabia que a Última estava vazia, tinha um segredo.

A Quinta, que tinha visitado a Mãe na sua terra de origem, não tinha mãos a medir com todas as coisas que tinha para dizer sobre os sacrifícios que a Quarta, como nada tinha para dizer e nada podia resolver, agradecia a todas como boas donas de casa que eram, sobretudo a Terceira que não sabia bem o que fazia ali apesar de saber que a Penúltima, que estava alegre porque pensava que era a única que sabia que a Última estava vazia, tinha um segredo.

A Mãe, que não se integrava em nada porque nunca tirava o lenço da cabeça, pensou que a Quinta enlouquecera por não ter mãos a medir com todas as coisas que tinha para dizer sobre os sacrifícios que a Quarta, como nada tinha para dizer e nada podia resolver, agradecia a todas como boas donas de casa que eram, sobretudo a Terceira que não sabia bem o que fazia ali apesar de saber que a Penúltima, que estava alegre porque pensava que era a única que sabia que a Última estava vazia, tinha um segredo,

e assim percebeu que era muito velha e que estava cansada, tão cansada que se esqueceu de tudo dentro dela, como todas temos de fazer no fim.

Sem comentários: