domingo, 17 de outubro de 2010

harmonia chinesa

Um comité de historiadores e linguistas chineses encarregue de descobrir o caracter mais chinês da China chegou à conclusão que é o que significa harmonia, paz. O é a primeira sílaba de "sociedade harmoniosa" e de "levantamento pacífico", expressões impressas ad nauseum nos jornais e na propaganda do partido, mas aparece também na expressão Prémio Nobel da Paz, o que, ironicamente, o coloca na lista de palavras sujeitas a censura devido à sua atribuição a Liu Xiaobo. O partido único da China, que tanto promove o ideal social da paz e da harmonia tradicional chinesa (vem de Confúcio), e que tanto quer ser visto pelo resto do mundo como uma sociedade harmoniosa, embora não engane ninguém (como escreve Zizek no London Review of Books, o excesso no uso das expressões harmonia e paz aponta para uma realidade oposta, para a ameaça sempre iminente de caos e desordem.), vê-se assim nesta contradição: bombardear os chineses com paz e harmonia, que não é nada daquilo que estes vêm em seu redor, e ao mesmo tempo impedi-los de saber e discutir a atribuição de um prémio internacional ao que de mais chinês existe aos seus próprios olhos. Talvez seja por este motivo que o verbo harmonizar se tornou sinónimo de censurar e, justiça lhes seja feita, por detrás da Grande Firewall, nesse aspecto os chineses são todos iguais: qualquer um pode ser harmonizado, incluindo Wen Jiabao quando pede reformas políticas.



Sem comentários: