quinta-feira, 20 de maio de 2010

Kiana Firouz




Apesar de não existir homossexualidade no Irão, segundo Ahmadinejad, as autoridades contam com o apoio do mundo livre na perseguição aos homossexuais iranianos que vivem fora do país. O crime de Kiana não é apenas o de ser lésbica mas também o de se atrever a participar num filme, baseado na sua vida e na perseguição de que são vítimas os homossexuais no seu país, crítico do regime. O Irão que tem tentado a deportação de Kiana do Reino Unido desde a publicação do trailer no YouTube, ao que tudo indica terá a sua vontade satisfeita. O Home Office recusou o pedido de asilo da actriz iraniana porque acredita que nada lhe acontecerá no Irão se ela ocultar a sua homossexualidade.

1 comentário:

Fatima disse...

Só posso dizer HIPÓCRITAS e COBARDES.