quinta-feira, 8 de abril de 2010

cor

Conforme se lê nesta notícia do CM, há muitas crianças que não são adoptadas porque ninguém as quer e não porque a lei impede a sua adopção. Há mais crianças para adoptar do que casais a quererem adoptá-las.
Não sei se uma lei que permitisse a adopção por casais homossexuais mudaria alguma coisa para as crianças que ninguém quer. Um casal gay terá menos exigências (idade, cor da pele, saúde da criança, se tem ou não irmãos) que um heterossexual? Julgo que haverá de tudo como entre os que agora se podem candidatar, mas à partida e sem mais dados parece-me que aumentando o número de potenciais adoptantes também aumentará o numero de adoptados entre as crianças rejeitadas.

Chocante na notícia do CM é isto:
«Dos 2493 candidatos a pais, (...) 1994 dão como critério a raça branca»
Até certo ponto consigo entender a preferência por crianças mais novas, saudáveis e sem irmãos. Nem toda a gente tem as condições necessárias para adoptar crianças que se afastem desses critérios, mas a cor como critério (mais de metade) é coisa que não entendo.

3 comentários:

CCF disse...

Já somos duas :)
~CC~

ecila disse...

Triste, muito triste :-(

Maggie disse...

Mas depois ninguém é racista.