sábado, 31 de outubro de 2009

Halloween



“Hallowe’en has an undercurrent of occultism and is absolutely anti-Christian.” Parents should “be aware of this and try to direct the meaning of the feast towards wholesomeness and beauty rather than terror, fear and death” - Padre Joan María Canals, citado pelo L’Osservatore Romano (via Times Online)

Num minuto é-se uma criança vestida a rigor para uma festa inocente, bastante divertida até, e no outro é-se um agente do oculto. Terror, morte e oculto são assuntos que a igreja domina como faz questão de nos lembrar.

2 comentários:

Helena disse...

Ao que parece, pelos EUA - sobretudo nas escolas - vai uma corrente moralizadora do Halloween, aliás, "festa do Outono".
Curiosamente, em França também não há "férias da Páscoa", mas "férias da Primavera" ou algo assim.

Li no Spiegel online que nessas escolas anti-Halloween proíbem o uso de máscaras, armas ("mesmo imitações"), manchas de sangue, unhas plásticas muito compridas, disfarces de monstro e assim. Antes disfarces de seres queridinhos e de legumes saudáveis.

E assim vai a vida do faz de conta. E os miúdos a precisar tanto de se sentirem fortes, e de vestirem os seus próprios medos...

maria n. disse...

Brincar com os medos é uma forma eficaz de os ultrapassar. Talvez seja isso que o preocupa, que se ultrapasse o medo, sobretudo o da morte, sem necessidade de passaporte carimbado pela igreja para a vida eterna.