terça-feira, 1 de setembro de 2009

hall

Entrar em Portugal pela Raia é desolador. A primeira coisa que se vê logo a seguir à fronteira são círculos de erva seca ladeados por cartazes com fotografias gigantescas dos políticos que nos saúdam das alturas com promessas de progresso e melhorias, promessas tão secas como as rotundas. O hall de entrada em Portugal parece uma conspiração para tornar o regresso a casa o mais deprimente possível.

2 comentários:

blue disse...

«Mención especial merecen los carteles de Ferreira Leite que jalonan las carreteras portuguesas. "Não desista. Todos somos precisos", reza. Pero la desolada foto en blanco y negro de la candidata, sin maquillar, podría hacer pensar a los turistas que visitan el Algarve que se trata del mensaje de una asociación de apoyo a la tercera edad o de prevención del suicidio.»

Jordi Joan, La Vanguardia

maria n. disse...

É isso mesmo. Ironicamente apetece logo desistir. Atravessei várias fronteiras e nenhuma é tão deprimente como a nossa.