domingo, 9 de agosto de 2009

cosmos

Oferecendo-me a escolha, prefiro habitar o espaço cósmico. Talvez não desça para exercer o meu direito, ou obrigação, nesse cargo-cult a que chamam democracia. Não é irresponsabilidade. É necessidade de distanciamento da acção; distante o suficiente para ver a curvatura da terra e reflectir sobre essa tal de clarividência das forças que moldam a humanidade.

2 comentários:

Ana Cristina Leonardo disse...

espero que a sua vida pessoal e existência colectiva não sofram por isso

maria n. disse...

Se sofrer parece que se resolve com uma cruzinha no sítio certo. É uma ideia extraordinária.