domingo, 29 de março de 2009

segundo


Ivy Door, Oliver Gagliani

Há um ano comecei a gravar mensagens em português para alguém encontrar; talvez alguém as encontre um dia, pensei, ou talvez elas encontrem o seu caminho até alguém. São pequenos traços de mim, algo que não se toca mas que pode tocar, ainda que por vezes falte o contexto, ainda que sem um esboço do rosto para vos ajudar a situar quem ledes nas palavras. O blogue pode ser um exercício de egocentrismo, mas só o é até nos lembrar que nós não somos os melhores juízes de nós próprios. A perspectiva dos outros sobre nós é frequentemente a mais certa e, de certa forma, são essas perspectivas que procuramos ao transmitirmo-nos pelos dedos fora.
Não me apetece mergulhar no meu arquivo e fazer uma retrospectiva. Aquilo que me tocou, de forma positiva ou negativa, permanece na arrecadação mental. O que foi produzido, consumido está. Foi-se nos bits e bytes das muitas páginas que escrevi , excepto aquilo que ainda está no vosso cache mas que, não tarda muito, será engolido pela limpeza rotineira do disco duro.

Entro no segundo ano.

7 comentários:

bell disse...

"A perspectiva dos outros sobre nós é frequentemente a mais certa". Não sei se é. Os outros, e estou-me a referir àqueles que só nos conhecem através do blogue, só sabem aquilo que lhes dizemos e nós sabemos como as palavras podem ser mascaradas (também sabemos como nos podem desmascarar). É verdade que nós não somos bons juízes de nós próprios porque somos detentores de demasiada informação. Temos o dados viciados. Acho que ninguém nos conhece verdadeiramente, até porque podemos mudar ao longo da vida e aí é que está a piada.

Parabéns pelo aniversário do blogue!

Maria N. disse...

Obrigada, Bell.
O que dizes também é verdade, mas falo partindo do principio da honestidade e em termos gerais.
Sobre mudarmos, não acho que mudemos assim tanto. Quando amigos, com quem não convivo há muitos anos, me dizem que lêem este blogue e vêm nele a mesma pessoa de que se lembram, isso significa que não mudei por aí além. Fazemos ajustamentos, deixamos de ser tão ingénuos, nalgumas coisas tornamo-nos mais intolerantes, noutras mais tolerantes, mas a nossa essência não muda muito.
Abraço.

blue disse...

não mudaste, não.
e nós, no segundo ano, entramos contigo. já que a porta, como a tua quinta, se nos mostra aberta.

CCF disse...

Creio ter apenas meio ano de leitura :) No entanto, o suficiente para ter ganho o gosto de cá vir. Deixa-te estar assim como tens sido, alguns entram numa onde estranha e parece às vezes que a blogosfera se lhes torna mais importante que a vida, ou que eles ficam tão importantes que são mais blogosfera que vida. Parabéns!
~CC~

Helena disse...

E venham muitos mais anos assim.
Obrigada por este mar de tranquilidade que se transmite dedos afora, olhos adentro.

CNS disse...

E são essas prespectivas,se honestas, que nos fazem manter as portas, portadas ou janelas das nossas casas virtuais.

Parabéns pelo aniversário, pelo espaço, pela escrita. Enfim, pelas tais portas abertas.

ecila disse...

Sou leitora recente, mas gosto bastante do que escreves, muitos parabéns!!!