quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Holodomor


Na Terceira Noite, o Rui Bebiano, chama a atenção para o Holodomor (praticamente ignorado pela imprensa internacional) e o revisionismo histórico que se tenta fazer do passado.
Apenas tenho a adicionar a recusa de Medvedev em estar presente nas comemorações do 75º aniversário do Holodomor em Kiev. A fome provocada pelas reformas colectivistas de Estaline matou milhões na Ucrânia mas também na Rússia, Bielorrússia, Cazaquistão. Medvedev recusou estar presente na cerimónia usando o argumento de que distanciar a fome na Ucrânia da fome noutras regiões da antiga União Soviética, era cínico e imoral. Considera também questionável que se pretenda ver na fome que causou tantas vítimas, uma tentativa deliberada de extermínio, recusando o uso do termo genocídio. Mas as suas palavras chocam com o facto de na Rússia, embora não sendo glorificada, a herança Estalinista não ser explicitamente rejeitada. Para além disso todas estas considerações não impediram Medvedev de usar a palavra genocídio mal os georgianos se aproximaram da Ossétia do Sul, voltando a usá-la em Setembro, um mês depois do procurador russo ter revisto e drasticamente reduzido a contagem inicial dos corpos.

Fonte : Berliner Zeitung (em alemão)

Sem comentários: