domingo, 16 de novembro de 2008

de dedo bem apontado

Este país de dedo apontado percebe muito de ética e de justiça. Nas horas laborais mete-se internet dentro e aterra nas caixas de comentários dos jornais online para apontar o dedo aos vilões dos títulos. Eles sabem que os vilões são culpados mesmo que a justiça diga que não. Sabem-no tão simplesmente porque lhes está nas entranhas. Têm uma rede de fibra telepática ligada directamente às entranhas uns dos outros. Cada português tem um vilão dentro de si sempre a tentar escapar. É por isso que bradam pela cabeça dos vilões. Querem desesperadamente acreditar que há salvação.

Sem comentários: