terça-feira, 25 de novembro de 2008

burro

No 25 de Novembro havia um circo acampado no terreno fora da escola, tigres dentro de jaulas e um burro preso a um poste. No intervalo fomos até lá ver aquele modo de vida que nos era tão estranho, quase burlesco. Estava muita gente junto dos tigres e um cheiro insuportável sobre todas as cabeças. Nunca tinha cheirado nada assim e estava curiosa, mais do que agoniada. Furei por entre as pernas da multidão para ver o que se passava. No chão estava um monte de carne, ossos e sangue. Era dali que vinha o cheiro. Um dos homens do circo cortava o monte com um machado e outro agarrava nos pedaços vermelhos e atirava-os para dentro da jaula do tigre.
Nunca mais vi o burro.

Sem comentários: