sábado, 30 de agosto de 2008

retro



Escrever, compor musica, fotografar, digitalizar alguns desenhos, filmar e fazer pequenos clips, contar histórias, reais ou inventadas, conversas escutadas, dar uma opinião, fazer jornalismo de cidadão, partilhar um saber, uma lista de livros ou de músicas, tudo isso e mais, com a possibilidade de feedback quase instantâneo, é tão facilitado hoje pela quantidade de ferramentas disponíveis que chega a ser ridículo. Gostaria de ter tido toda essa tecnologia disponível na minha adolescência.

2 comentários:

Anónimo disse...

Havia:

máquina de escrever e a maldita fita correctora. Horas para escrever uma página sem erros.

lápis e borracha

gravador e cassete

máquina fotográfica "analógica" (daquelas com rolo!)

com sorte uma câmara de filmar super 8

o spectrum 48k e uma impressora cuja impressão resistia um ano (isto já fora da adolescência).

O destino das "obras": a gaveta.

Um adolescente nos anos 70 do século passado.

Maria N. disse...

Boa descrição. Era exactamente assim. Ainda deverão haver gavetas dos anos setenta cheias de bom material, esquecido algures.