sexta-feira, 8 de agosto de 2008

a minha irmã adormeceu

no sofá, depois de ter feito dois turnos seguidos. Quando acordou foi à varanda e deparou-se com um grande letreiro lá pendurado que dizia assim: “VENDE-SE”.
Esfregou os olhos. Ter-se-ia enganado? Não estaria o letreiro na varanda da vizinha? Olha novamente mas não havia como duvidar. Conseguia tocar no letreiro, estava mesmo na sua varanda. Angustiou-se, o coração desatou aos saltos e pensou nos filhos e no tecto deles. Imaginou-se a despachá-los para o pai, e a viver dentro do carro. Como é possível estar à venda? Só pode ter sido o banco. Mas porquê? Tenho as prestações em dia, foda-se!

Acordou e foi à varanda. Só aí sossegou. Afinal, era um sonho. Um pesadelo.

2 comentários:

CCF disse...

Quantos de nós não temos neste momento este pesadelo?! Descreve tão bem! Vim via blue e gostei muito do que li.
~CC~

Maria N. disse...

Obrigada ccf.