quarta-feira, 4 de junho de 2008

gata preta

A gata preta que não era de ninguém saltou para apanhar o pássaro mas desequilibrou-se e caiu quebrando a quietude da água. A Isabel ouviu a água romper e de longe viu a gata lutar e a lutar correu para a salvar mas chegou tarde. Afogou-se.
Talvez fosse a última vida que lhe restava.
Deixou quatro crias entaladas no feno que está no alpendre; quatro gatinhos que eu agora alimento, limpo e aconchego. É só até terem idade suficiente para poderem sobreviver sozinhos, para que depois, tal como a mãe, possam não ser de ninguém.

Sem comentários: