domingo, 13 de abril de 2008

laços pouco lassos

queria deixar-te laços pouco lassos
aventuras que faço floresta dentro
algumas pedras quebradas
outras refeitas
algo de interminável em acabado murmúrio.
deixo talvez tudo que não sei dizer
sem dizer.

abre em asas o azul derrubado dos olhos sobre o corpo.
expande os limites outrora leves
mas finge apenas que partes.

queria deixar-te laços pouco lassos
algumas aventuras minhas
mas mais não deixo que mentiras.

Sem comentários: