domingo, 6 de abril de 2008

ontem

óleo de A.B.

marés escondidas para além das linhas
os olhos rubros no longe tardio
entardece e espera um grito
que talvez faça espuma desta areia.
garganta enforcada em pranto ou desvairada.
garganta de sons arrepiados mas logo abafados.
cimento sobre todo o cimento e cinzento cinzento cinzento.
linhas escondidas aquém das marés.
estas que descem de um rosto e sombreiam um corpo
estas que quebram desassossegos
e se encostam nas soleiras das portas
a sorrir de nada para o dia que foi ontem.

Sem comentários: