domingo, 6 de abril de 2008

exposição

traços indefinidos no papel
desenhando rostos, mãos e sombras
delineando sorrisos amenos
ou prantos

tinta saída de um ponto descentrado
espalhada em linhas finas pelo papel
a sorrir da gravidade desses rostos
saídos de um só pescoço

rostos talhados em pedra
o preto no branco
as molduras tão graves
a sala tão estática
cores frias
gelos

enfia-se a arte em invólucros
como mortos em caixões

Sem comentários: